Boletim de 14 de junho de 2019

Apresentado esta semana

Lindano (γ-Hexaclorociclohexano)

Lindano, também conhecido como gama-hexaclorociclohexano, (γ-HCH), é uma variante química organoclorada do hexaclorociclohexano que tem sido usado como inseticida agrícola e como tratamento farmacêutico para piolhos e sarna. [1] É um sólido branco que pode evaporar no ar como um vapor incolor com um leve odor de mofo. Também está disponível sob prescrição (loção, creme ou xampu) para tratar piolhos e sarna. O lindano não é produzido nos Estados Unidos desde 1976, mas é importado para uso como inseticida. [2]


Baixe o PDF completo abaixo


Destaques Artigos

A Safe Work Australia está buscando feedback sobre a mudança do GHS 3 para o GHS 7 sob as leis modelo WHS

Nos próximos meses, a Safe Work Australia fará consultoria sobre a proposta de adotar uma edição atualizada do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS) para produtos químicos perigosos no local de trabalho. Desde 1 de janeiro de 2017, a 3ª edição revisada do GHS (GHS 3) foi implementada sob as leis modelo de Saúde e Segurança do Trabalho. Como a transição da Austrália para o GHS agora está concluída, é hora de ir além do GHS 3 para garantir que os requisitos de classificação e rotulagem da Austrália para produtos químicos no local de trabalho estejam alinhados com nossos principais parceiros comerciais, conforme eles avançam para a 7ª edição revisada do GHS (GHS 7 ) A Safe Work Australia valoriza o engajamento de suas partes interessadas e está buscando feedback para ajudar a garantir que quaisquer mudanças na classificação da Austrália e nos requisitos de comunicação de perigo para produtos químicos perigosos no local de trabalho sejam implementadas de uma forma que minimize os impactos para a indústria. Mais informações disponíveis na plataforma de consulta Engage.

http://www.safeworkaustralia.gov.au

Quando a areia se comporta como óleo

Areia, arroz e café são exemplos de materiais granulares. O comportamento das substâncias granulares desempenha um papel fundamental em muitos processos naturais, como avalanches e o movimento das dunas de areia, mas também são importantes na indústria. Na fabricação de produtos farmacêuticos ou alimentos, é importante processar os materiais granulares da forma mais eficiente possível. Apesar da variedade de aplicações práticas, as leis físicas que governam como os materiais granulares se comportam são apenas parcialmente compreendidas. O oposto é verdadeiro no caso dos líquidos: uma série de leis físicas e instrumentos matemáticos bem estabelecidos são usados ​​para descrever seu comportamento. Isso é particularmente verdadeiro para misturas complexas e instáveis, como emulsões, que têm estruturas que se reorganizam rapidamente.

Um novo pedido
Pesquisadores do grupo liderado por Christoph Müller, professor de Ciência e Engenharia de Energia da ETH Zurich, em colaboração com cientistas da Columbia University em Nova York, descobriram que, em certas circunstâncias, as misturas feitas de materiais granulares apresentam semelhanças impressionantes com as misturas de líquidos imiscíveis e pode até ser descrito por leis físicas semelhantes. Para realizar seus experimentos, os pesquisadores colocaram grãos pesados ​​e leves em diferentes configurações em um recipiente estreito, que vibraram ao mesmo tempo que faziam passar o ar por baixo. Esses dois processos “fluidizaram” os grãos, de modo que eles começaram a se comportar de forma semelhante aos líquidos. De fora, os pesquisadores observaram como os materiais no contêiner se reorganizaram ao longo do tempo.

Estruturas contrastantes
Se, por exemplo, uma camada de areia pesada é colocada em cima de uma areia mais clara, a fluidização fará com que os grãos mais leves migrem para cima devido à sua densidade mais baixa e formem estruturas semelhantes a glóbulos, como líquidos viscosos. “Os grãos realmente se comportam da mesma forma que o óleo na água”, explica Christopher McLaren, um aluno de doutorado do grupo de Müller. “Uma interação complexa ocorre entre os dois materiais.” Se uma pequena quantidade de areia leve for incorporada na areia grossa, a areia leve irá mais ou menos se mover para cima em glóbulos compactos. No entanto, na areia pesada, um padrão mais complexo emerge: uma bola de grãos pesados, cercada por grãos leves, não irá simplesmente afundar intacta no fundo. Em vez disso, ele se desintegrará gradualmente em vários glóbulos menores, e o material continuará a se ramificar com o passar do tempo.

Aplicações diversas
“Nossas descobertas são significativas para várias aplicações”, diz Alexander Penn, um pós-doutorado envolvido nos experimentos. “Se, por exemplo, um fabricante de produtos farmacêuticos deseja produzir uma mistura de pós muito homogênea, ele precisa entender a física desses materiais em detalhes, para que possa controlar o processo.” As descobertas também podem ser do interesse dos geólogos, ajudando-os a entender melhor os processos envolvidos em deslizamentos de terra ou como os solos arenosos se comportam durante os terremotos. Além disso, o trabalho também será relevante para o debate atual sobre energia. “Se você analisar os processos industriais, verá que uma parte significativa da energia necessária é usada para processar materiais granulares”, explica Penn. “Se soubermos como controlar melhor os materiais granulares, podemos desenvolver processos de fabricação mais eficientes em termos de energia.”

http://www.eurekalert.org

Inquérito Rápido