Boletim de 5 de junho de 2020

Apresentado esta semana

Hidrazina

SoHydrazine é um líquido oleoso fumegante, incolor, com um forte odor de amônia. É perigosamente instável e altamente tóxico, a menos que seja manuseado em solução. Ocorre naturalmente como um subproduto da fixação de nitrogênio microbiano e foi encontrado na fumaça do tabaco. Ele também pode ser liberado no ar durante as operações de ventilação. A hidrazina foi classificada como cancerígena para a saúde humana. [1,2,3,4]


Baixe o PDF completo abaixo


Destaques Artigos

Japão pondera mudanças nos requisitos da ficha de dados de segurança

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar (MHLW) discutiu uma série de propostas para encorajar uma troca mais transparente de informações obrigatórias e voluntárias sobre perigos químicos. Materiais divulgados pelo ministério antes de uma reunião hoje apontam que substâncias sem exigência legal de fichas de dados de segurança (SDSs) foram responsáveis ​​por até metade de todos os acidentes envolvendo toxicidade aguda por exposição química. A Lei de Segurança e Saúde Industrial (ISHA) é a principal lei que implementa o Sistema Globalmente Harmonizado (GHS) de classificação e rotulagem de produtos químicos no Japão. Isso obriga as empresas a fornecer fichas de dados de segurança e rótulos para 673 substâncias e suas misturas até certos limites. Embora a ISHA também incentive as empresas a fornecer SDSs para outros produtos químicos que possam representar riscos físicos ou à saúde, isso não é um requisito legal. O ministério relata que apenas 60-70% das empresas compartilham regularmente documentos de perigo quando não são legalmente obrigadas. O MHLW reconhece que certos produtos químicos com potenciais efeitos adversos à saúde de longo prazo atualmente não têm requisitos de advertência de perigo obrigatórios, incluindo aproximadamente 200 carcinógenos de categoria 2B, que são substâncias consideradas "possivelmente cancerígenas para humanos" pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (Iarc). As propostas para expandir os requisitos legais para SDSs e rotulagem de produtos químicos foram limitadas a substâncias envolvidas em acidentes de reações adversas de misturas indevidamente rotuladas. Ação voluntária No entanto, o MHLW está considerando medidas para promover uma cultura de circulação voluntária de SDS entre empresas no Japão, em particular entre pequenas e médias empresas com menos recursos humanos disponíveis para gerenciar questões de conformidade. O ministério já desenvolveu a documentação modelo SDS e rótulos para as empresas usarem, que cobrem 3,014 substâncias. Agora, planeja expandir esses recursos para cobrir mais substâncias, com prioridade para produtos químicos importados ou produzidos no Japão em grandes quantidades. Outras medidas sugeridas incluem o fornecimento de um orçamento para serviços de treinamento e consultoria para garantir que as pequenas empresas atendam aos requisitos de conformidade. Além disso, SDSs e etiquetas para transferências de produtos de consumo, que geralmente não são exigidas, podem se tornar necessárias quando esses produtos são adquiridos em transações entre empresas. Também está considerando soluções baseadas em tecnologia para permitir o compartilhamento de documentos SDS online com etiquetas codificadas por QR.

https://chemicalwatch.com/120630/japan-mulls-changes-to-safety-data-sheet-requirements

Num flash! Imagine baixar 1,000 filmes HD em uma fração de segundo, pesquisadores na Austrália fizeram isso

Melbourne: Os cientistas alcançaram a velocidade de dados de internet mais rápida do mundo, o suficiente para baixar 1000 filmes HD em uma fração de segundo, usando um único chip óptico, um avanço que pode ajudar a aumentar a capacidade de conexões de rede em todo o mundo. De acordo com o estudo, publicado na revista Nature Communications, a nova inovação pode acelerar a capacidade de telecomunicações de países que lutam com a demanda por infraestrutura de internet. Os pesquisadores, incluindo Bill Corcoran da Monash University na Austrália, registraram uma velocidade de dados de 44.2 Terabits por segundo (Tbps) de uma única fonte de luz. Essa velocidade, disseram os cientistas, foi alcançada conectando seu novo dispositivo à tecnologia de fibra óptica existente, como a usada em redes de internet banda larga. “Inicialmente, eles seriam atraentes para comunicações de altíssima velocidade entre data centers”, disse Arnan Mitchell, coautor do estudo da Universidade RMIT na Austrália, em um comunicado. Eles testaram a transmissão em 76.6 quilômetros de fibras ópticas entre o Melbourne City Campus da RMIT e o Campus Clayton da Monash University. O loop de fibra, de acordo com os cientistas, faz parte do Australian Lightwave Infrastructure Research Testbed (ALIRT), estabelecido com investimento do Australian Research Council. No estudo, os pesquisadores usaram seu novo dispositivo que substitui 80 lasers por um único equipamento conhecido como micro-pente, que é menor e mais leve do que o hardware de telecomunicações existente. Eles explicaram que ele atua como um arco-íris composto por centenas de lasers infravermelhos invisíveis de alta qualidade de um único chip. Cada um desses lasers, observou o estudo, tem a capacidade de ser usado como um canal de comunicação separado. Os cientistas colocaram o micro-pente nas fibras ópticas do ALIRT e enviaram o máximo de dados por cada canal, simulando o pico de uso da Internet, em 4 TeraHertz (THz) de largura de banda. Embora este micro-pente tenha sido usado em um ambiente de laboratório, eles disseram que esta é a primeira vez que é usado em um teste de campo. Com um número sem precedentes de pessoas usando a Internet para trabalho remoto, socialização e streaming durante bloqueios de coronavírus, os pesquisadores disseram que o teste refletiu a demanda normal por infraestrutura de Internet em alguns anos. “Está realmente nos mostrando que precisamos ser capazes de dimensionar a capacidade de nossas conexões de internet”, disse Corcoran. Com base nos resultados, ele acredita que as fibras que já fazem parte da infraestrutura de internet no solo podem ser a espinha dorsal das redes de comunicação agora e no futuro. “E não é apenas sobre a Netflix que estamos falando aqui - é a escala mais ampla para a qual usamos nossas redes de comunicação”, acrescentou. Corcoran disse que os dados podem ser usados ​​para carros autônomos e transporte futuro, e também podem ajudar os setores de medicina, educação, finanças e comércio eletrônico. David Moss, diretor do Centro de Ciências Ópticas da Universidade de Swinburne, disse que os micropente chips se tornaram um campo de pesquisa extremamente importante nos dez anos desde que ele os co-inventou. De acordo com Moss, os micro-pentes oferecem uma promessa enorme para atendermos à demanda insaciável do mundo por largura de banda.

https://www.asianage.com/technology/in-other-news/230520/in-a-flash-imagine-downloading-1000-hd-movies-in-a-split-second-researchers-in-australia-have-d

Inquérito Rápido